bigode chinês

Você sabe o que é o “bigode chinês”?

Apesar do nome um tanto diferente, tenho certeza de que você já reparou no famoso “bigode chinês, considerado por muitos como um dos primeiros sinais do envelhecimento facial. Com o nome técnico de sulco nasogeniano, definimos o bigode chinês como as linhas que se estendem do canto do nariz às extremidades dos lábios.
Muito embora seja considerado um sinal do tempo, uma linha suave pode ser observada já na infância, obviamente não por envelhecimento. Isso ocorre porque essa concavidade, que desce bilateralmente do nariz aos lábios, é uma característica natural da face humana, um espaço virtual que permite que os ângulos labiais se projetem lateralmente durante o sorriso.
Seu aprofundamento durante o envelhecimento dependerá de questões hereditárias, da forma como o processo natural do envelhecimento se apresenta e dos hábitos adquiridos ao longo da vida.

Quais são as causas do bigode chinês?

Além dos fatores hereditários, o processo natural do envelhecimento e os hábitos de vida são os principais fatores relacionados ao aprofundamento da ruga. O envelhecimento natural cursa com reabsorção de ossos e gordura faciais, assim como flacidez tanto dos músculos, quanto da pele. Ossos e gordura nas regiões das bochechas funcionam como verdadeiros pontos de ancoragem, mantendo os tecidos faciais bem posicionados.

Quando o processo do envelhecimento chega e traz consigo a osteoporose da região malar e a perda da gordura das bochechas, associados a flacidez de músculos e pele, isso permite que os tecidos escorram pra frente e pra baixo, formando o sulco nasogeniano ou bigode chinês. Percebam portanto, que a formação dessa ruga ocorre principalmente à distância – como se a bochecha escorresse pra baixo e frente, e se acumulasse entre lábios e nariz.

Obviamente, hábitos de vida que levam ao envelhecimento precoce como tabagismo, alimentação rica em açucares e exposição prolongada ao sol e luzes artificiais, por acelerarem o desgaste do colágeno cutâneo, aceleram também o aparecimento do bigode chinês.

Como é o tratamento?

Agora que já conhecemos as causas do surgimento do bigode chinês fica bem mais fácil propormos os tratamentos.
Antes de mais nada, é imprescindível que o paciente seja orientado a ter hábitos de vida saudáveis, como seguir uma dieta pobre em alimentos de alto índice glicêmico, proteger a pele contra os raios solares, luz artificial e poluição e abandonar o tabagismo.
O uso isolado de cremes contra flacidez, quando as rugas já estão instaladas, é pouco eficaz. Entretanto, é importante utilizá-los para retardar seu aparecimento, quando usados ainda antes dos 30 anos, ou para auxiliar na manutenção dos resultados dos tratamentos realizados nas clínicas médicas.
Antes dos 30 anos, o bigode chinês costuma ser pouco evidente. Nesse momento, o uso dos cremes preventivos está especialmente indicado.Caso o bigode chinês já comece a incomodar ou se deseje retardá-lo, tratamentos como lasers, peelings e microagulhamento, ao estimular a produção de colágeno, podem ajudar.
É a partir dos 30 anos que as rugas começam a se tornar mais expressivas. Nesse momento, precisaremos então avaliar quais são os fatores mais envolvidos em seu aprofundamento.
Se o sulco nasogeniano ocorre por falta de volume de ossos e gordura nas bochechas, o mais indicado é repor esse volume perdido através do preenchimento facial com ácido hialurônico. Atentem que o procedimento não será realizado na área do sulco, mas nas bochechas!
Se a ruga se formou principalmente por flacidez de músculos e pele, o ultrassom microfocado, seria o tratamento mais indicado. Isso porque o aparelho faz microcoagulações nos tecidos, provocando seu encurtamento e combatendo a flacidez.
Se a pele estiver especialmente comprometida, é a vez dos bioestimuladores e dos fios. Os bioestimuladores mais famosos são o ácido polilático (sculptra) e a hidroxiapatita de cálcio (radiesse). Esses produtos, quando injetados na pele, induzem a formação de colágeno por até 18 meses. Os fios, por sua vez, além do efeito de bioestímulo, podem promover ainda uma ligeira tração, reposicionando suavemente os tecidos deslocados.
Nos parágrafos acima, dividimos didaticamente as causas e os tratamentos do bigode chinês. O mais comum entretanto, é que essas causas diversas se sobreponham e precisemos fazer um mix dos tratamentos para obtermos os melhores resultado.
A partir dos 60 anos, infelizmente os procedimentos minimamente invasivos citados acima não costumam ser eficazes. Nesses casos, indica-se a cirurgia plástica, mais precisamente o lifting facial. Realizado o lifting, é interessante que procedimentos dermatológicos sejam realizados para manutenção dos resultados.
Pra quem deseja se afastar da possibilidade de cirurgia plástica, o ideal é começar sua poupança de colágeno aos 30 anos, para chegar aos 50 anos com metade das suas rugas geneticamente programadas, mas isso já é assunto para outro artigo…

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como dermatologista no Rio de Janeiro.

O que deseja encontrar?

Compartilhe