estrias

2 tratamentos para as estrias

Apesar de muitas famosas e celebridades ostentarem corpos perfeitos, até mesmo elas têm assumido as celulites, estrias e outras marcas naturais da pele. Qualquer ser humano está susceptível a tais alterações. De todo modo, existem diversos tratamentos estéticos que permitem melhorar o aspecto do corpo, quando isso causa certa frustração e infelicidade.

Esse sentimento é muito comum em quem possui estrias. As marquinhas podem ser indesejáveis, quando se deseja expor o corpo. Se você sofre com estrias e já não sabe o que fazer para acabar de vez com elas, não se preocupe. Milhares de pessoas compartilham do mesmo sentimento que você. Além disso, este artigo irá contribuir para o seu conhecimento sobre os tratamentos para estes sinais na pele.

Confira a seguir.

Tipos de estrias

Para conseguir combater o inimigo, primeiro é preciso conhecê-lo. O mesmo acontece com as estrias. Elas são divididas em três categorias: as vermelhas (ou roxas), as brancas superficiais e estreitas, e as brancas largas e profundas.

Cada um dos tipos surge em virtude de algum acontecimento no corpo. Em geral, elas costumam se desenvolver devido à resposta da pele a um estiramento rápido, como acontece na gravidez, no ganho de peso ou até mesmo após o implante de silicone nos seios.

Tratamentos para as estrias

Agora que você já sabe um pouco mais sobre os tipos de estrias existentes, bem com os fatores responsáveis pelo seu aparecimento, chegou a hora de conhecer os tratamentos para elas.

São vários os tratamentos disponíveis para estrias, incluindo peelings, lasers, microagulhamento, subcisão e radiofrequência. Na minha prática clínica, como o tratamento de estrias é sempre um desafio, percebo que a combinação de técnicas traz sempre os melhores resultados.

Hoje, falarei para vocês sobre duas combinações que gosto bastante e com as quais tenho obtido resultados bastante satisfatórios.

1# Laser fracionado + subcisão

Através de um laser fracionado, são feitas microperfurações na pele, as quais aquecem a derme, induzindo a pele a produzir novas fibras de colágeno, mais saudáveis e resistentes. Com isso, o objetivo é melhorar a textura da pele, o que por consequência melhora as estrias.

Após 15 dias, tempo necessário para que a pele cicatrize, um processo de subcisão é realizado. O procedimento consiste no uso de uma agulha que descola a derme profunda e a traumatiza. Dessa forma, novamente a produção de colágeno é estimulada, o que colabora para que a estria vá sendo suavizada ao longo das sessões.

São necessárias pelo menos dez sessões do tratamento, 5 sessões de laser e 5 de subcisão, sempre com intervalos de 15 dias entre elas.

2# Radiofrequência microagulhada

Tecnologia que combina o microagulhamento com a radiofrequência, a radiofrequência microagulhada estimula a produção de colágeno tanto pelas perfurações causadas pelas microagulhas, quanto pela corrente elétrica que atinge a pele através das mesmas. O resultado é o aumento das fibras de colágeno e, por consequência, a reaproximação das bordas das estrias. O procedimento provoca a reorganização dos tecidos que dão sustentação à pele, melhorando inclusive a flacidez da área tratada.

Realizadas 10 sessões, com intervalos mensais, espera-se que as estrias sejam suavizadas. O procedimento pode provocar algum incômodo, já que a área tratada costuma ficar bastante quente e vermelha durante a aplicação.

Para terminar, se você é daquelas que morre de medo só de pensar em agulhas, fique tranquila! Os peelings químicos também podem ser excelentes opções de tratamento, porém exigem mais sessões e costumam ter resultados mais modestos.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto.

Leia outros artigos e conheça mais sobre meu trabalho como dermatologista no Rio de Janeiro.

O que deseja encontrar?

Compartilhe